Procedimentos - PGD (Diagnóstico Genético Pré-Implantacional)

O PGD tem como objetivo evitar a transferência de embriões com alterações genéticas e consiste na retirada de uma ou duas células (blastômeros) do embrião, no terceiro dia de cultivo. A célula é enviada ao laboratório de genética para análise cromossômica, através da técnica de FISH, ou para detecção de doenças gênicas, através da técnica de PCR. O PGD está indicado em alguns casos de abortamentos recorrentes ou para casais que apresentam risco de transmissão de alguma doença genética para os seus descendentes. Temos realizado também uma nova técnica de PGD, denominada Hibridização Genômica Comparativa (a-CGH – microarray- Comparative Genomic Hybridization). Essa técnica possibilita a análise simultânea de 24 cromossomos (22 pares de cromossomos autossômicos e dois cromossomos sexuais, X e Y). A biópsia embrionária é realizada no 5º dia após a fertilização, com o embrião em estágio de blastocisto, possibilitando uma avaliação mais precisa devido ao maior no número de células biopsiadas. Essa técnica permite a identificação de todas as alterações cromossômicas numéricas (aneuploidias), as quais representam a principal causa de insucesso em ciclos de FIV.